HISTÓRIA

25 de maio de 1973: Dois casais estão na origem da Comunidade: Efraim e Jo Croissant, Mireille e Jean-Marc Hammel.

1974: Início da vida comunitária em Soyons, e logo depois em Valence (Drôme, França).

31 de maio de 1975: Dom Robert Coffy, arcebispo de Albi, acolhe em Cordes-sur-Ciel a comunidade nascente, que se chama então Comunidade do Leão de Judá e do Cordeiro Imolado.

1978: Segunda fundação. Outras serão feitas em seguida, na França e em todo o mundo.
Ordenação de Efraim (Gérard Croissant), fundador da Comunidade, como diácono permanente, por Dom R. Coffy.
Primeiras consagrações de irmãos e irmãs solteiros com a profissão dos conselhos evangélicos de castidade, pobreza e obediência.

19 de janeiro de 1979: Dom R. Coffy, arcebispo de Albi, erige a Comunidade como “Pia União” (de acordo com o Código de Direito Canônico em vigor).

1981: Criação do primeiro apostolado de evangelização.
1° de janeiro de 1985: Dom R. Coffy aprova os Estatutos da Comunidade, que se torna então “Associação de Fiéis” (de acordo com o novo Código de Direito Canônico de 1983).

1985: Primeira ordenação sacerdotal de um irmão da Comunidade.

1987: Visto a sua expansão internacional, a Comunidade foi renomeada “Comunidade das Beatitudes”. A mudança de nome foi oficializada em 1991.

15 de Agosto de 1991: O novo arcebispo de Albi, Dom Roger Meindre, aprova as alterações estatutárias visto a criação de províncias.

14 de Janeiro de 1994: Dom R. Meindre, após consulta dos bispos da França, aprova com decreto os novos Estatutos, “ad experimentum” por cinco anos.

8 de dezembro de 2002: Promulgação do decreto de aprovação da Comunidade das Beatitudes pelo Pontifício Conselho para os Leigos, em Roma. A Comunidade recebe o estatuto de “associação internacional privada de fiéis de direito pontifício com personalidade jurídica”.

Novembro 2007: Orientações romanas editadas pelo Conselho Pontifício para os Leigos. Prorrogação da aprovação dos Estatutos por dois anos.

Novembro de 2009: A Assembléia Geral confirma a dependência à Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Institutos Seculares (CIVCSVA) e o estabelicimento de ramos próprios para cada estado de vida. Roma pede a Dom Robert Le Gall, Arcebispo de Toulouse (França), que se espere algum tempo antes de erigir a Comunidade como associação pública de fiéis de direito diocesano em vista de se tornar uma “Nova Família Espiritual de Vida Consagrada”.

3 de julho de 2010: Dom R. Le Gall nomeia Frei Henry Donneaud, op, como Assistente Religioso com faculdades especiais, a pedido da CIVCSVA.

30 de setembro de 2010: Decreto da CIVCSVA nomeando Frei Henry Donneaud, op, como Comissário Pontifício.
8 de abril de 2011: “Visum” dos Estatutos pela CIVCSVA.

29 de junho de 2011: A Comunidade é erigida Associação Pública de Fiéis  em vista de se tornar uma Família Eclesial de Vida Consagrada, de Direito Diocesano.

7 de outubro de 2013: Decreto da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica pelo qual nomeia-se Irmã Katharina Pollmeyer Presidente delegada do Comissário Pontifício.

22 de outubro – 1° de novembro de 2015: Assembléia geral da Comunidade. Irmã Anna Katharina Pollmeyer é eleita Presidenta e Padre Martin de Tours é eleito Assistente geral. Padre Benoît-Joseph Raymond é eleito responsável geral dos irmãos; Irmã Maria-Martha Kühnapfel responsável geral das Irmãs; Anne-Emmanuelle Dixmérias moderadora geral dos leigos.

Frei Henry Donneaud,op continua a acompanhar a Comunidade enquanto assistente apostólico.