Comunhão dos estados de vida

«A multidão dos que haviam crido tinha um só coração, uma só alma.»  Atos 4,32

Nascida pouco depois do Concílio Vaticano II, a Comunidade deseja manifestar o que o Concílio recordou: a Igreja é um mistério de comunhão, a santidade é a vocação de todos. A Igreja foi instituída por Jesus Cristo para cumprir a vontade do Pai: fazer de todos os homens a família de Deus.

O modelo da vida trinitária inspira o nosso apelo à comunhão: assim como as três Pessoas vivem uma comunhão perfeita, sem se confundir ou perder suas próprias características, assim nossa comunhão tende a uma unidade dinâmica, permitindo que cada um e que todos realizem a sua própria vocação.

A atmosfera familiar abrange todos os membros de diferentes ramos da Comunidade, leigos ou consagrados, particularmente nos “Focolares” da Comunidade que mostram a diversidade e a comunhão das diferentes vocações na Comunidade, onde os momentos de oração, de partilha, de colaboração apostólica reúnem pessoas de todos os estados de vida.